Tag: Virtude

A alma tirânica e os sonhos

A alma tirânica e os sonhos

Dizia o velho Platão que no sonho, mesmo entre os homens mais virtuosos, a razão adormece; e enquanto dorme, desperta a irascibilidade. O mesmo pensamento (ou ao menos o cerne dele) permanece ao longo dos séculos, continuadamente vivo entre os mais versados homens modernos sobre os sonhos, a maioria deles mencionados por Freud em sua […]

Continue Lendo

A educação sexual no seio da família cristã

A educação sexual no seio da família cristã

Penso que a educação sexual deve sobrevir no seio da família cristã por uma série de razões, sendo a primeira delas a seguinte: os filhos devem ser educados virtuosamente em todos os aspectos da vida humana, sem ocultamentos nem vergonhas, sendo a sexualidade por certo um elemento essencial na edificação das criaturas, tanto para quem faz […]

Continue Lendo

As 5 principais razões de Roger Scruton para ser um conservador

As 5 principais razões de Roger Scruton para ser um conservador

“O conservadorismo advém de um sentimento que toda pessoa madura compartilha com facilidade: a consciência de que as coisas admiráveis são facilmente destruídas, mas não são facilmente criadas“. “O conservadorismo é a filosofia do vínculo afetivo. Estamos sentimentalmente ligados às coisas que amamos e que desejamos proteger contra a decadência”: Mesmo diante de divergências, algo […]

Continue Lendo

Crítica de G. K. Chesterton ao ceticismo da Modernidade

Crítica de G. K. Chesterton ao ceticismo da Modernidade

G. K. Chesterton, embora tenha vivido num momento histórico cujo império das opiniões circundava a praticidade antimetafísica, encontrou um direcionamento oposto à Modernidade, a saber, o seio da tradição cristã. Na sua busca, em primeiro lugar, ele intuiu que este mundo é incapaz de explicar-se. Em segundo, passou a acreditar que o sobrenatural tem algum significado, e que isso […]

Continue Lendo

“Os filósofos são pessoas à parte e estranhas”

“Os filósofos são pessoas à parte e estranhas”

Não basta o título deste escrito, é preciso salientar novamente o que Pierre Hadot manifestou com êxito em determinada sexta-feira de 1983: “Os filósofos então são pessoas à parte e estranhas“. E ele disse mais: A filosofia está em toda parte, nos discursos, nos romances, na poesia, na ciência, até mesmo na arte; “todavia, é […]

Continue Lendo

O discernimento (phronesis) como condutor ético

O discernimento (phronesis) como condutor ético

Não deixar interferir o seu estado emotivo em função do agir com o outro de certo é um exercício bastante difícil, quiçá impossível. Entretanto vejo que quanto mais se deixa as insatisfações pessoais tomarem conta do comportamento em relação ao outro mais preso em si o indivíduo se encontra. A solução disto, ao meu ver, não […]

Continue Lendo

As quatro Virtudes Cardeais

As quatro Virtudes Cardeais

Existem no Cristianismo quatro virtudes cardeais (ou cardinais) que polarizam todas as outras virtudes humanas. Este conceito, originado em Platão, foi adaptado por pensadores da Igreja como Santo Ambrósio, Santo Agostinho e São Tomás de Aquino. A virtude platônica passa por diferentes fases, todas elas bem apresentadas por Zoraida M. L. Feitosa na tese A Questão da Unidade e do […]

Continue Lendo

A felicidade no Livre Arbítrio Agostiniano

A felicidade no Livre Arbítrio Agostiniano

A Vida Feliz (386 d.C.) é evidentemente a obra de Santo Agostinho mais conhecida acerca da felicidade. Todavia o filósofo de Hipona está sempre retomando o conteúdo nela expresso por pensar ser o caminho para a virtude, impreterivelmente presente na vida cristã, também a passagem para a felicidade. Felicitar-se é uma determinação da boa vontade, sendo essa principiada pelo Livre Arbítrio (395 d.C.). É a vontade que pode […]

Continue Lendo

O Príncipe entre a virtú e a fortuna

O Príncipe entre a virtú e a fortuna

E como Dante diz que não se faz ciência sem registrar o que se aprende, eu tenho anotado tudo nas conversas que me parece essencial, e compus um pequeno livro chamado De Principatus, onde investigo profundamente o quanto posso cogitar desse assunto, debatendo o que é um principado, que tipos de principado existem, como são conquistados, […]

Continue Lendo

Nota sobre a concepção cristo-platônica do Bem

Nota sobre a concepção cristo-platônica do Bem

É comum atribuir características antropomórficas à concepção cristo-platônica do divino. Essa temática já foi tratada por Platão; além de todo o Logos e de toda a alma estaria o puro Um, como o Bem da República além de toda substância. Tal Bem, assim como o Um de Parmênides, é uma unidade não-discursiva que simplesmente é, […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas