Tag: Unidade

Monarquia: As Razões Reais de Mário Saraiva

Monarquia: As Razões Reais de Mário Saraiva

“Quem não vê que o mecanismo da chefia republicana é um fator periódico e persistente de desunião e de luta interna? Quem não vê que o ato fundamental e mais solene do sistema republicano é aquele que mais fere e contraria a unidade nacional? Como nos pode prometer união um regime que nos obriga contrariamente […]

Continue Lendo

Breviário de Aristóteles: Livro Δ da Metafísica

Breviário de Aristóteles: Livro Δ da Metafísica

Em suma, o Livro Δ da Metafísica de Aristóteles reúne e explica uma série de termos relevantes à temática da filosofia primeira dos quais este texto tem por objetivo abordar seus oito primeiros. Alguns comentadores compreendem o Livro Δ como um léxico metafísico, no entanto, devido à sua brevidade, Giovanni Reale prefere dizer que ele tem […]

Continue Lendo

Breve escrito para os que encontram na Filosofia a sua razão de existir

Breve escrito para os que encontram na Filosofia a sua razão de existir

| 19/06/2016 | 1 Comentário

Se, oculto pela recusa em falar, a força motriz da tua existência for a Filosofia, és um assujeitamento não manifesto; certamente um forte loquaz, todavia, um ser-aí de fraco senso coletivo. Tenho medo de teu niilismo imperativo, da tua força que impera sem ter predicativo real de existência algum. Onde está o realismo de tua apolítica? Tenho-o tal como vejo a […]

Continue Lendo

A Douta Ignorância Cusana:  Do máximo absoluto à sua contração

A Douta Ignorância Cusana: Do máximo absoluto à sua contração

Através da realização de um breve levantamento da teologia medieval melhor podemos chegar ao cerne da filosofia de Nicolau de Cusa, um dos pensadores mais importantes do século XV. A Idade Média foi responsável por sintetizar as concepções gregas acerca da natureza e realizar algo similar a uma instrumentação de conhecimento sobre a teologia romana […]

Continue Lendo

Errância das ciências pelo filósofo do martelo

Errância das ciências pelo filósofo do martelo

A partir da Vontade de Poder de Nietzsche

No início de uma de suas mais importantes obras, A Vontade de Poder, Friedrich W. Nietzsche afirma ter sido o autocontrole do homem religioso uma espécie de escola preparatória para o caráter científico. Curioso essa denominação, dado que outros filósofos como os do medievo afirmavam ter sido a filosofia um preparo para o Cristianismo. Não […]

Continue Lendo

A face do espanto

A face do espanto

Em muito os entes encontram-se enfermos, jogados sob um mundo que em nada apresenta cognição hiperinteligível, pairando numa beleza airosa incapaz de lançar cognições plenas sobre a raiz de sua própria beldade. Dentre toda a virtude há inúmeras confusões: como é possível reconhecer e conectar-se a tal bem? A verdadeira beldade torna-se o primeiro sinal […]

Continue Lendo

O princípio do intelecto, da vida e de todas as coisas

O princípio do intelecto, da vida e de todas as coisas

O Um de Plotino

A publicação anterior tratou da visão do neoplatônico Plotino acerca da natureza e como o nascimento desta é uma contemplação voltada para a alma anterior à esta natureza. Em sua filosofia o que é gerado é homogêneo ao que gera, porém mais fraco já que o principio originado tende a perder suas características ao deslocar-se para baixo: do Um em direção ao […]

Continue Lendo

Sobre a natureza e a contemplação

Sobre a natureza e a contemplação

A partir da Enéada III.8 [30] de Plotino

Através de uma sabedoria luminar, Plotino expressa como todas as coisas anseiam a contemplação e miram esse fim, não só os viventes racionais, mas também os irracionais e a natureza nas plantas e na terra que as engendra. Todas elas contemplam com a intensidade que lhes é possível, atingindo este fim de modo diferente, umas verdadeiramente, […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas