Tag: Transcendência

A angústia na filosofia heideggeriana

A angústia na filosofia heideggeriana

Na angústia o homem se sente estranho – todas as coisas e o próprio ser-aí afundam numa indiferença. Através dessa indiferença, o homem deixa de encontrar apoio no ente. Não há significação, não há projeto de ser, não resta nenhum consolo: o ente já não diz nada. A angústia, nesse sentido, inviabiliza que o ser-aí […]

Continue Lendo

Cristianismo Ortodoxo: A morte para o Ego

Cristianismo Ortodoxo: A morte para o Ego

Recentemente perguntei no grupo Estudos sobre a Ortodoxia (Cristianismo Ortodoxo) se para os cristãos cuja doutrina prega que hoje vivemos numa realidade decaída (consequência da queda de Adão e Eva) é um erro falar coisas como “não gostaria de existir aqui, quero morrer logo para essa vida” – sendo esse não um pensamento suicida, mas antes um apelo à tudo […]

Continue Lendo

A Douta Ignorância Cusana:  Do máximo absoluto à sua contração

A Douta Ignorância Cusana: Do máximo absoluto à sua contração

Através da realização de um breve levantamento da teologia medieval melhor podemos chegar ao cerne da filosofia de Nicolau de Cusa, um dos pensadores mais importantes do século XV. A Idade Média foi responsável por sintetizar as concepções gregas acerca da natureza e realizar algo similar a uma instrumentação de conhecimento sobre a teologia romana […]

Continue Lendo

Introdução à Filosofia da Natureza

Introdução à Filosofia da Natureza

Ontologia ou epistemologia: quatro questões possíveis

A Filosofia da Natureza é um segmento filosófico que compreende a natureza do ponto de vista ontológico (da relação do ser enquanto ser) e/ou epistemológico (da origem, estrutura, método e validade do conhecimento). Esta foi importante desde à antiguidade. Efetivamente a filosofia nasce entre os pré-socráticos com a problemática da physis pois tudo o que lhes era apresentado estava […]

Continue Lendo

Errância das ciências pelo filósofo do martelo

Errância das ciências pelo filósofo do martelo

A partir da Vontade de Poder de Nietzsche

No início de uma de suas mais importantes obras, A Vontade de Poder, Friedrich W. Nietzsche afirma ter sido o autocontrole do homem religioso uma espécie de escola preparatória para o caráter científico. Curioso essa denominação, dado que outros filósofos como os do medievo afirmavam ter sido a filosofia um preparo para o Cristianismo. Não […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas