Tag: Sócrates

Sócrates: a filosofia e seu ensino

Sócrates: a filosofia e seu ensino

Com Sócrates sendo condenado à morte, Kohan percebe que já nos primórdios da filosofia, seu ensino não tem lugar na pólis, pois, parece-lhe, o professor de filosofia não fala a linguagem oficial da cidade. Isso, provavelmente, porque nenhum cidadão comum mostra saber algo de valor, ainda que acredita saber sobre tal. O filósofo, por outro lado, se […]

Continue Lendo

Guerra à filosofia do talvez

Guerra à filosofia do talvez

Nietzsche é elogiado por uma multidão de jovens e homens imaturos; não porque ele é um filósofo verdadeiro, mas porque é um poeta sedutor. Ele seduz os corações enfermos; os corações que se encontram diante do Abismo, sendo este abismo um dos maiores ídolos que o homem imaginou após a queda. O abismo sim é […]

Continue Lendo

Górgias e o “Lógos”

Górgias e o “Lógos”

| 09/01/2017 | 0 Comentários

Introdução Na antiguidade, a democracia grega era baseada na tentativa de resolução de problemas por meio do diálogo. Através de assembleias – reuniões de cidadãos – os discursos se confrontavam e os mais persuasivos eram aproveitados para a tomada de decisões. Nesse sentido, o domínio sobre o Lógos – enquanto “discurso” – estava relacionado ao […]

Continue Lendo

Os sofistas e Sócrates

Os sofistas e Sócrates

Os sofistas enchiam a boca para falar de suas próprias ciências, Sem no entanto efetivamente acreditarem na verdade. E que fazia Sócrates? Professava a sua ignorância Porque sumamente acreditava na verdade.

Continue Lendo

Duas perspectivas para lidar com a morte

Duas perspectivas para lidar com a morte

ou a representação do luto
| 06/03/2016 | 0 Comentários

“τοτε λεγει αυτοις περιλυπος εστιν η ψυχη μου εως θανατου” (Disse-lhes, então: Minha alma está triste até a morte.”) Jesus [ Mt 26.38] “Todavia, chegou a hora de partir: eu para a morte, e vós, ao  contrário, para a vida.” Sócrates [Platão, Apologia de Sócrates] Temer a morte é da natureza de todos os viventes […]

Continue Lendo

A figura do discípulo: O socrático, o epicurista e o aristótelico

A figura do discípulo: O socrático, o epicurista e o aristótelico

Síntese do artigo “Três Figuras do Discípulo na Filosofia Antiga” do professor Francis Wolff (École Normale Supérieure de Paris), o seguinte texto examina as condições do discípulo na filosofia antiga.  Ora, vejamos a introdução de Wolff à herança socrática: “De Sócrates provêm, diretamente, algumas das filosofias mais marcantes da história (dentre as quais as de Platão) e, indiretamente, quase todas […]

Continue Lendo

A ruptura do binômio ética-política

A ruptura do binômio ética-política

Quando a ética e a política decidiram por se afastar

Introdução Hoje é facilmente observável, especialmente no Brasil, a tensão manifesta no entendimento do que realmente é a política; jovens podem ir às ruas, partidos podem se apresentar como a política verdadeira, capazes até mesmo de promover o povo a uma aparente melhor condição, mas sem embargo as respostas se apresentam como manifestações ocasionais, e não enquanto o fenômeno político em si. Outro tema […]

Continue Lendo

A Douta Ignorância Cusana:  Do máximo absoluto à sua contração

A Douta Ignorância Cusana: Do máximo absoluto à sua contração

Através da realização de um breve levantamento da teologia medieval melhor podemos chegar ao cerne da filosofia de Nicolau de Cusa, um dos pensadores mais importantes do século XV. A Idade Média foi responsável por sintetizar as concepções gregas acerca da natureza e realizar algo similar a uma instrumentação de conhecimento sobre a teologia romana […]

Continue Lendo

Carta n. 4

Carta n. 4

Recife, 03 de novembro de 2015 Caro amigo, Imagino o quanto sabes de minha prisão em busca do mundo invisível negando ao meu ser a frontal participação da realidade das tantas coisas que aqui vemos e vivenciamos. Ao acordar nesta manhã pensei na discussão que tivemos acerca de minha participação política no país ou, utilizando-me […]

Continue Lendo

A cidadania socrática

A cidadania socrática

Sócrates costumava dizer que para conquistar a felicidade é preciso justiça, e isso implica em fazer aquilo que se acredita. Na Apologia a Sócrates Platão narra o discurso de seu mestre logo antes de ser condenado, em 399 a.C.. Esse podia, como é narrado no Fédon, ter fugido, mas não o fez, preferindo assim morrer; preferiu a morte a corromper seu compromisso […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas