Tag: Silêncio

Principais frases dos Relatos de um Peregrino Russo

Principais frases dos Relatos de um Peregrino Russo

1. Pela graça de Deus, sou um homem cristão; pelas minhas ações, um grande pecador. 2. A própria oração vai revelar-lhe de que maneira ela pode se tornar uma prece perpétua; mas isso demora algum tempo. 3. Não é através da sabedoria desse mundo nem através de um vão desejo de obter conhecimentos que somos […]

Continue Lendo

Não há vida intelectual sem oração

Não há vida intelectual sem oração

Não há vida intelectual sem oração, ainda que em certo grau possa haver a erudição nos ímpios. Isso porque, como expressa São Máximo, a oração – e somente ela – separa o intelecto dos pensamentos, apresentando então a verdade integralmente desnuda. Para compreender a necessidade desse desnudamento, é preciso ter em mente duas coisas: a […]

Continue Lendo

Nepsis (νῆψις)

Nepsis (νῆψις)

Nepsis (νῆψις) é um termo grego que pode ser traduzido por “vigilância” e “sobriedade”, ou fenomenalmente, pelo neptikos, o homem de “existência vigilante e sóbria”. No cristianismo oriental, se diz que a permanência neste estado é a marca da santificação, que nestes termos, se caracteriza pela permanente concentração do pensamento enquanto este não é mais afetado nem […]

Continue Lendo

Ruído

Ruído

Tão próximo mas tão distante Eis como agora se enuncia o filosofar Se anuncia a mim o seu murmúrio As suas letras Ecoando como um Logos ruidoso Tempos de juventude e filosofia?! Já foram meus e se foram; embora Já não necessito de ti Abandonei-me ao silêncio Já não necessito de ti Mas ainda à […]

Continue Lendo

É hora d’a filosofia ouvir

É hora d’a filosofia ouvir

É hora d’a filosofia ouvir É momento d’o filósofo sentir E não mais ser o Sr. sentado no gabinete. Não há mais espaço Para que o filósofo seja senhor de si, Agora há muitas outras forças; Como a d’o senhorzinho que cozinha alface, D’a virtude de quem larga o cigarro, D’a determinação de um santo. […]

Continue Lendo

Assujeitamento manifesto

Assujeitamento manifesto

| 22/06/2016 | 1 Comentário

Este é meu primeiro manifesto público; o primeiro momento em que expresso a curiosidade diante de tantas vontades autosilenciadas, perante algum número absurdo de sujeitos que desconheço, mas que se sujeitam às minhas palavras desditosas, recém boquiabertas. É curioso manifestar-me somente agora, quando desde sempre tenho a vontade, a pulsão, a existência, a possibilidade e […]

Continue Lendo

Breve escrito para os que encontram na Filosofia a sua razão de existir

Breve escrito para os que encontram na Filosofia a sua razão de existir

| 19/06/2016 | 1 Comentário

Se, oculto pela recusa em falar, a força motriz da tua existência for a Filosofia, és um assujeitamento não manifesto; certamente um forte loquaz, todavia, um ser-aí de fraco senso coletivo. Tenho medo de teu niilismo imperativo, da tua força que impera sem ter predicativo real de existência algum. Onde está o realismo de tua apolítica? Tenho-o tal como vejo a […]

Continue Lendo

Breviário de um Condenado: Dia primeiro

Breviário de um Condenado: Dia primeiro

As rotinas são paredes — os dias esmagam. Na jaula do desespero, à meia-luz da loucura, uma criança fala. Seu discurso é estranho, curto, porque as palavras lhe faltam. “Condenado… também sou medo! Fala!”. E eu, palhaço vermelho, vejo a silhueta branca daquilo em que me vou tornar. Quem sou? “És em te faltar”. E […]

Continue Lendo

Princípios do cuidado de si

Princípios do cuidado de si

A amizade se desenvolve em conformidade com a presença e a intimidade dos homens quando estes assentam a companhia mútua; não é possível ser amigo de um homem em completa solidão. O amor é fruto da alegria daqueles que conhecem a beatitude e o cuidado de si para então cuidar do outro; não se deve […]

Continue Lendo

Laboratório de Filosofia Antiga: Plotino, Enéada III.8 [30]

Laboratório de Filosofia Antiga: Plotino, Enéada III.8 [30]

Sobre o silêncio, a natureza, a contemplação e o Uno

Comprometi-me a apresentar no Laboratório de Filosofia Antiga o pensamento de Plotino, razão pela qual meus pensamentos voltaram a se debruçar diante de tão curioso filósofo. Por dias pensei repetidas vezes no que poderia ser dito acerca de um sapiente neoplatônico tal como foi Plotino. A respeito de quê poderei discursar?, pensei. Falar de Plotino não é tarefa fácil, quem o […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas