Tag: Angústia

A angústia na filosofia heideggeriana

A angústia na filosofia heideggeriana

Na angústia o homem se sente estranho – todas as coisas e o próprio ser-aí afundam numa indiferença. Através dessa indiferença, o homem deixa de encontrar apoio no ente. Não há significação, não há projeto de ser, não resta nenhum consolo: o ente já não diz nada. A angústia, nesse sentido, inviabiliza que o ser-aí […]

Continue Lendo

Assujeitamento manifesto

Assujeitamento manifesto

| 22/06/2016 | 1 Comentário

Este é meu primeiro manifesto público; o primeiro momento em que expresso a curiosidade diante de tantas vontades autosilenciadas, perante algum número absurdo de sujeitos que desconheço, mas que se sujeitam às minhas palavras desditosas, recém boquiabertas. É curioso manifestar-me somente agora, quando desde sempre tenho a vontade, a pulsão, a existência, a possibilidade e […]

Continue Lendo

Breve escrito para os que encontram na Filosofia a sua razão de existir

Breve escrito para os que encontram na Filosofia a sua razão de existir

| 19/06/2016 | 1 Comentário

Se, oculto pela recusa em falar, a força motriz da tua existência for a Filosofia, és um assujeitamento não manifesto; certamente um forte loquaz, todavia, um ser-aí de fraco senso coletivo. Tenho medo de teu niilismo imperativo, da tua força que impera sem ter predicativo real de existência algum. Onde está o realismo de tua apolítica? Tenho-o tal como vejo a […]

Continue Lendo

As inquietações humanas representadas na arte de Bosch

As inquietações humanas representadas na arte de Bosch

A arte sempre foi um meio para a conscientização das idéias e dos interesses mais nobres do espírito. Foi nas obras artísticas que os povos depuseram as concepções mais altas, onde as exprimiram e as conscientizaram, disse Hegel. A filosofia hegeliana mostra a arte como uma forma de linguagem humana que nos propicia a decifrar os segredos dos povos […]

Continue Lendo

Medo: do movimento natural ao problema da finitude

Medo: do movimento natural ao problema da finitude

A partir da semelhança entre as paixões dos diferentes homens, quem quer que olhe para dentro de si mesmo, e examine quaisquer uma de suas manifestações corporais e/ou psíquicas, poderá ver que são as mesmas que regem a todos os homens, especialmente naquilo que permanece desde o nascimento, isto é, o medo. O grande filósofo […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas