RSSFilosofia Pré-Socrática

O pluralismo de Empédocles

O pluralismo de Empédocles

Apresentar o pluralismo de Empédocles é uma aplicação bastante oportuna por abrir espaço a um pensador pouco lembrado na História da Filosofia. Mas é também um desafio porquanto não se sabe quão profundamente o leitor conhece acerca do empedoclismo quanto se pressupõe saber sobre a história que lhe antecede e é usualmente mais conhecida. Desse modo, tendo […]

Continue Lendo

Demócrito e o atomismo clássico

Demócrito e o atomismo clássico

Embora hoje o atomismo seja conhecido como uma doutrina física e química, seguramente seu estudo teve um preâmbulo filosófico, ou seja, não foi “cientificamente“ que seus fundadores – Leucipo (±490/460-420 a.C.) e Demócrito de Abdera (±460-360 a.C.) – sustaram os componentes últimos da matéria enquanto corpúsculos indivisíveis, em movimento num vazio infinito. Se quisermos uma demonstração disso, podemos recorrer a Aristóteles, pensador que […]

Continue Lendo

Tales, Anaximandro e Demócrito

Tales, Anaximandro e Demócrito

O primeiro grande período cosmológico da filosofia ocidental tem o tema da natureza como centro. A filosofia no ocidente nasce como uma investigação racional acerca da physis e de sua arché cujo conceito pode ser aplicado de forma dupla. a arché como princípio: começo ou origem. Nesse sentido, ela estaria situada em algum lugar do tempo remoto. a […]

Continue Lendo

O devir e a discórdia em Heráclito

O devir e a discórdia em Heráclito

Heráclito de Éfeso provavelmente era de meia-idade pelos finais do século sexto e sua atividade filosófica principal terminou por volta de 475 a.C. Conforme relata Diógenes Laércio, o pré-socrático mencionou em seus escritos Pitágoras e Hecateu, bem como Xenófanes e, talvez, Parmenides. O livro a ele atribuído chama-se <<Sobre a Natureza>>, com base no seu […]

Continue Lendo

O discurso é um phármakon

O discurso é um phármakon

O Elogio de Helena de Górgias

No Elogio de Helena Górgias principia defendendo que o ordenamento de uma cidade está no valor de seus habitantes, do mesmo modo como a de um corpo está em sua beleza, a de uma alma em sua sabedoria, a de uma ação em sua virtude e a de um discurso em sua verdade; as qualidades contrárias a essas implicam imperfeição. […]

Continue Lendo

A divindade não-antropomórfica de Xenófanes

A divindade não-antropomórfica de Xenófanes

"Os povos atribuem aos deuses seus próprios traços, e se pudessem, os animais também o fariam"

Xenófanes, nascido por volta de 570 a.C., teria vivido mais de 90 anos, sendo dessarte contemporâneo a Anaximandro e herdeiro dos ares dos filósofos naturalistas da época; escreveu em versos ainda hoje lidos, embora subsistam apenas alguns de seus fragmentos. Em geral, os doxógrafos dizem que este pré-socrático teria passado parte da vida em Eleia, onde fez […]

Continue Lendo

Anaxímenes e o sopro infinito do ar

Anaxímenes e o sopro infinito do ar

Anaxímenes de Mileto, filho de Eurístrato, foi discípulo de Anaximandro; alguns há que afirmam que foi também discípulo de Parménides. Disse ele que o princípio material era o ar e o infinito; e que os astros se movem, não por baixo da Terra, mas em redor dela. (Diógenes Laércio II, 3) Tudo o que Aristóteles […]

Continue Lendo

O infinito de Anaximandro

O infinito de Anaximandro

Sobre o apeiron e a origem dos seres

Introdução O primeiro texto sobre os filósofos pré-socráticos mostrou como esse período reflete um interesse filosófico voltado para o mundo da natureza. Além disso, apresentou Tales como o primeiro filósofo grego, principalmente por ter trazido o conhecimento de que o cosmos é um (Aet., II, 1, 2). Mas foi através de seu sucessor e discípulo, Anaximandro […]

Continue Lendo

A sabedoria de Tales de Mileto

A sabedoria de Tales de Mileto

Da geometria à sapiência anímica

Tales de Mileto é tradicionalmente considerado o mais antigo investigador da natureza das coisas como um todo. “Foi, segundo a tradição, o primeiro a ter revelado aos Gregos a investigação da natureza” (Simplício, Phys. p. 23, 29 Diels). Exerceu importante atividade como político, engenheiro, astrônomo, físico teórico, matemático e geômetra, e, como típico observador de tudo […]

Continue Lendo

Pitágoras e o Pitagorismo

Pitágoras e o Pitagorismo

Dizem que os pitagóricos distinguiam três tipos de animais racionais: deuses, humanos e seres como Pitágoras (Jâmblico VP 31), também se dizia que Pitágoras era o deus Apolo em forma humana. Dessa maneira ele não só era apresentado enquanto fundador de uma escola matemática, como também de sua relação com a música, astronomia e filosofia. Segundo A. N. Whitehead (Science and the Modern […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas