Henrique Capeleiro Maia

Henrique Capeleiro Maia

Se publico tiro um retrato. Eis o meu registro público com que me publico, assim me tornando público. Dou assim parte parte de mim, a minha parte pública, a parte com que o público pode conversar, concordar ou discordar, refutar ou simplesmente ignorar. O público, na maior parte, nunca verá de mim mais que esta parte. Publicado o confirmo. É público este retrato — que tão mal me retrata.

feed RSS

Henrique Capeleiro Maia: Suas Últimas Postagens

Universo:

Universo:

Palavras.

Todo; universo. Todo universo e todo isto. Isto todo o universo: universo todo e todo nisto. Nisto todo, todo o universo, todo o universo é isto. Isto; universo; palavras todo. Todo palavras o universo todo, todo o universo palavras e em todas as palavras universos. Todas palavras; todas universos; são universos palavras que no universo […]

Continue Lendo

O Ponto

O Ponto

Ponto pondo pondo pontos

Introduzindo o ponto. O ponto: ponto pondo pondo pontos. Ou seja, ponho pontos pontos pondo. A prová-lo eis os seguintes pontos: . . . Três são os pontos aqui propostos. Três propostas; três pontos. Três pontos que de pronto são propostos. Postos os três pontos e suas propostas, proponho que se ponha um ponto em […]

Continue Lendo

Sonata em Mim Menor, Op. 1

Sonata em Mim Menor, Op. 1

Quase que Andante

<lento> <quase> Frase. Curta. Bruma. Quase. Quase que uma frase. Som. Soa a frase. Soa Quase. <pausa> </pausa> Mais Frase. Menos bruma. Mais quase. Quase que bruma, quase que frase. Soa a frase ou sou a bruma? <pausa> </pausa> Quase que é frase. Não é bruma; nem quase. Frase, bruma, bruma que é frase. Soa […]

Continue Lendo

Economia de palavras

Economia de palavras

Tratado de economia

Este tratado de economia econômico será. Trata o tratado de economia; economia de palavras e de tratado. Tratadas com economia palavras e tratado, tratada será com economia a economia do tratado. Duas, portanto, as economias: (a) de palavras e (b) de tratado. Sendo já tantas as palavras; já tanto tratado, trataremos agora da economia. I. […]

Continue Lendo

Título

Título

Subtítulo

Introdução: Introduzindo a Introdução Teor do texto: título e suas problemáticas. Tantas e tais são as problemáticas do título que o título do tratado sobre tais problemáticas remete já para o título de temas tais. Serve o presente, portanto, como introdução ao tema em título. O tema em título é o título do próprio tema. […]

Continue Lendo

Numerologia

Numerologia

A primeira frase é sempre a primeira. A segunda, falando da primeira, diz que a primeira é a que mais custa. À quinta sonha-se com a sexta. O parágrafo, primeiro, confunde; depois termina a semana. Segundo Parágrafo, “parece tautologia”. Tão tola é a lógica quanto o tao tolo que o chino ensina. Torna o parafuso […]

Continue Lendo

Publico

Publico

Se o faço, faço-o segundo regras. A partir de agora fico fixo. Esta é a minha imagem pública. Esta é a imagem que de mim projeto enquanto texto. O texto, porque texto, de meu pouco tem; e tão pouco de meu tem que o que de mim tem é ainda menos com o que de […]

Continue Lendo

O Mundo Muda?

O Mundo Muda?

1000 Palavras Sobre Kuhn

Este escrito consiste numa explicação de até 1000 palavras do texto “As revoluções como mudanças de concepção de mundo”, de Thomas Kuhn, segundo a estrutura seguinte: “Introdução + desenvolvimento + conclusão”. As limitações impostas fazem parte da estrutura do trabalho, propostas na disciplina de Tópicos de Filosofia Contemporânea IV. Eis porque as exponho. Henrique Capeleiro Maia O mundo […]

Continue Lendo

Filósofos?

Filósofos?

Doentes e Doidos

“Os poetas místicos são filósofos doentes, / E os filósofos são homens doidos.” (CAEIRO, 1914) Doentes. Homens doentes. Homens. Portanto doidos. Doidos e doentes. Ora vejamos. Os filósofos são homens: disso não deve restar dúvidas. Homens, sim, porque a filosofia de feminino só tem o gênero gramatical: a sua história é a do enamoramento do […]

Continue Lendo

Biciclética

Biciclética

1. Bicicleta como filosofia? Assim me ocorria quando hoje pedalava para casa, reparando como na bicicleta o espaço que me separa entre o lugar para onde me desloco e o refúgio onde por fim volto são por mim conquistados à força do esforço que eu enquanto corpo faço. Verborreia. Mais simples o que digo refaço: […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas