Numerologia

A primeira frase é sempre a primeira. A segunda, falando da primeira, diz que a primeira é a que mais custa. À quinta sonha-se com a sexta. O parágrafo, primeiro, confunde; depois termina a semana.

Segundo Parágrafo, “parece tautologia”. Tão tola é a lógica quanto o tao tolo que o chino ensina. Torna o parafuso em torno de si próprio tornando o próprio texto parafuso. Gira confuso. É inverno — verão.

Três tiras, nenhum pões. Retalhas e costuras, fazendo dos retalhos e suas escrituras nem manta nem retalhos, apenas costuras. Às duas por três, sem nenhum pôr, três enfias na agulha.

Quarto apartado. Da sala à cozinha dispensa passos. Falta uma quarta parte para o quarto completar seus paços.

Cinco, cincos cincos cinca cinco? Cinco?

6

Categoria: Artes e Letras, Crônicas e contos

Henrique Capeleiro Maia

Sobre o(a) Autor(a) ()

Se publico tiro um retrato. Eis o meu registro público com que me publico, assim me tornando público. Dou assim parte parte de mim, a minha parte pública, a parte com que o público pode conversar, concordar ou discordar, refutar ou simplesmente ignorar. O público, na maior parte, nunca verá de mim mais que esta parte. Publicado o confirmo. É público este retrato — que tão mal me retrata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas