Futurama e a Eterna Busca pelo Sentido da Vida

Fry caminhando no planeta Terra

Fry caminhando no planeta Terra

O episódio O atraso de Fry é um dos melhores do desenho animado Futurama, pois mostra a incessante busca humana pelo sentido da vida ao longo das eras. Nele, Fry representa a humanidade que desde que surgiu neste planeta busca algo que justifique sua existência.

Nas primeiras cenas o personagem aparece tentando dormir em vão, pois Bender leva uma robô para o apartamento ao lado do quarto do protagonista. Os dois ficam namorando fazendo barulhos bem altos impedindo assim que Fry tenha uma boa noite de sono. Quando este acorda percebe que está atrasado para o trabalho e ao chegar lá lhe contam que Leela foi para um restaurante e tal informação faz ele se lembrar de que marcou um almoço para comemorar o aniversário dela. Fry corre para o restaurante do Elzar, lá ele encontra Leela e esta diz que já comeu os dois pratos que pediu. Ela se levanta e sai deixando para Fry a conta para pagar. Este fica triste por ter chegado atraso e quando vai para o Planet Express, o lugar onde ele e outros personagens trabalham, promete para Leela um jantar no caro restaurante Cavern on the green. De repente aparece Bender anunciando a despedida de solteiro do robô Hedonismbot na mesma noite do jantar de Leela com Fry, este se anima ao receber tal notícia. Todavia, ele percebe que Leela ficou chateada e decide manter o compromisso de levá-la para o Cavern on the green. Fry opta por gravar um vídeo num cartão de mensagem para dar de presente para Leela, mas quando ele estava para sair aparece em sua frente o Dr. Farnsworth acompanhado de Bender dizendo que ele não irá para lugar algum como punição por ter chegado atrasado ao trabalho. Então, Fry fica juntamente com Bender para testar a nova invenção de seu parente cientista que é uma máquina do tempo que só viaja para o futuro no intuito de impedir a mudança do passado ou a criação de paradoxos como ser pai de si mesmo. O Dr. Farnsworth escolhe viajar um minuto para o futuro, mas enquanto Fry grava a mensagem para Leela o cientista puxa demais a manivela e os três acabam viajando até o ano 10.000. Durante a viagem no tempo o cartão se perde no fluxo temporal e Fry fica desesperado ao saber que não poderia mais ir ao restaurante onde Leela o aguardava.

O cenário do mundo no ano 10.000 é desolador, pois todas as construções humanas estão em ruínas. Fry fica muito triste ao notar que a Estátua da Liberdade está quase encoberta pelo solo. Enquanto isso, no ano 3010 Leela espera por Fry no restaurante e o garçom começa a contar para ela como se formou as estalagmites e estalactites presentes na caverna, mas ela se cansa e decide ir para casa. Ao chegar pergunta para as pessoas que estão assistindo TV onde Fry se encontra, pois ela deseja dar um soco nele. O clone do cientista, Cubert, diz que acha que Fry foi com Bender e o Dr. Farnsworth para a despedida de solteiro de Hedonimsbot. No término da fala de Cubert surge na televisão um plantão urgente para falar do desastre que ocorreu na festa do robô citado anteriormente. O repórter conta que a tragédia ocorreu quando uma dançarina androide de energia nuclear sofreu uma fusão do núcleo provocando uma pequena, mas destrutiva explosão atômica. O único sobrevivente é o próprio anfitrião da festa e assim Leela e os outros que estavam assistindo a televisão acreditam que Fry, Bender e o Dr. Farnsworth morreram na festa. Já no ano 10.000 os três viajantes do tempo se aquecem jogando livros de história numa fogueira e as pessoas que vivem nesta época se assemelham a ideia que se tem dos humanos do paleolítico. Então, o cientista do grupo tem a ideia de continuar viajando para o futuro até chegar numa época em que haja uma máquina do tempo que viaje para o passado e assim voltar para o tempo deles.

Começa uma jornada rumo ao futuro, a segunda para é no ano 105.105 quando a Terra está passando por uma nova Era Glacial e os humanos caçam montados em morsas e com armas laser. Diante do perigo iminente os três viajam até o ano 252.525 que é bem parecido com a Idade Média excetuando o uso de avestruzes como montaria neste tempo futuro do desenho. Em seguida eles vão para o ano 351.120 no qual o planeta está coberto de água e habitado por lagostas gigantes, já no ano um milhão as girafas governam o mundo e escravizam os humanos. Neste ponto há uma pausa na viagem para o futuro e a animação mostra como estão os outros personagens no ano 3030. A Planet Express é um negócio de sucesso desde que seu dono, Dr. Farnsworth, “morreu” e o controle da empresa foi assumido por Leela. Esta ainda sente falta de Fry e passa a desejar Cubert por achar que este parece com a pessoa que ela ama. No ano cinco milhões a Terra é habitada por duas espécies que se ramificaram da humana. A primeira é composta por seres humanoides de cor roxa, inteligentes e parecidos com o mestre Yoda na altura e no formato das orelhas. Já a segunda é de seres azuis denominados pelos primeiros como cruéis e estúpidos. Farnsworth pergunta aos seres roxos se estes já inventaram uma máquina do tempo que viaje para o passado ao que eles respondem que ainda não, mas que podem criá-la em cinco anos. Então, os viajantes do tempo vão para cinco anos no futuro e descobrem que os seres azuis exterminaram os roxos. No ano dez milhões as máquinas se rebelam contra a humanidade, Bender adora o cenário apocalíptico e diz para seus amigos que irá morar com eles numa das muitas das montanhas de crânios humanos. Fry e o Dr. Farnsworth desaprovam a ideia de Bender e puxam a manivela indo para o ano cinquenta milhões em que o planeta é habitado só por mulheres e os homens são raros nesta época. Elas saúdam os viajantes do tempo e falam que possuem uma máquina que viaja para o passado, mas elas querem que antes os humanos do grupo participem do banquete da fertilidade. Todavia, Fry e o cientista são impedidos por um Bender irritado por não ter ficado no ano dez milhões e depois de algumas brigas os três chegam ao ano um bilhão. Neste ano a Terra é uma mera rocha vagando pelo espaço, pois toda a vida no planeta foi extinta. Diante do fato de que não há mais nada vivo na Terra Fry começa a andar até que encontra a caverna para a qual tinha prometido levar Leela. Na caverna Fry encontra uma mensagem feita de estalagmites quando a cena é cortada e o telespectador vê o que ocorria no ano 3050. Nesta data Leela está separada de Cubert e este vai com Amy para Atlantic City. De repente o cartão de presente de Fry bate na cabeça dela e ao ver o vídeo do cartão ela descobre o real motivo de Fry não ter aparecido no restaurante, então Leela vai para o Cavern on the green e dispara com sua arma laser no teto e deste começa a pingar no chão formando uma mensagem na esperança de que em algum momento do futuro Fry possa ler a frase dela, esta cena é cortada e então aparece Fry lendo a seguinte frase: “Querido Fry, nosso tempo junto foi curto, mas foi o melhor de minha vida”. Com a oportunidade de voltar para casa perdida os três resolvem viajar até o fim do universo.

Os viajantes entram na máquina do tempo, abrem suas latas de cerveja e se sentam para assistir o resto da história do universo até o fim deste. Uma série de eventos começa a acontecer diante de seus olhos como a transformação do Sol numa gigante vermelha o que acarreta a destruição da Terra, depois a própria estrela se transforma numa supernova resfria assim como várias outras e Fry pergunta para o Dr. Farnsworth qual seria o propósito da vida e recebe como resposta a ideia de que o sentido da vida nada mais é do que alguma bobagem do espírito humano. Fry concorda com e ele juntamente com os outros dois assistem o afastamento das galáxias. Quando o último próton estava para deteriorar ocorre um novo Big Bang dando origem a um universo igual ao anterior. Eles assistem o nascimento do Sol, da Terra e da Lua. Já na Terra eles observam a saída do primeiro ser vivo vertebrado que sai da água, em seguida os três assistem os conflitos humanos. Então, o Dr. Farnsworth para numa época e vê Hitler fazendo o famoso discurso de Nuremberg em 1934. O cientista pega uma arma laser e dispara matando Hitler enquanto este dizia: “Betrachten Sie meinen Schnurrbart!” que traduzido significa “Olhem para o meu bigode!”. Quando Farnsworth vai parar a máquina no ano certo, 3010, ele erra e os três param novamente no ano 10.000. Eles continuam viajando até que chegam ao terceiro universo, neste mais uma vez o Dr. Farnsworth tenta novamente matar Hitler, mas acaba matando Eleanor Roosevelt. Eles chegam à data que tinham entrado na máquina do tempo e caem em cima de suas duplicatas evitando assim algum paradoxo por causa da coexistência num mesmo universo de dois indivíduos iguais. Fry corre para o restaurante e chega a tempo para o jantar com Leela e o episódio termina com os dois juntos numa ponte contemplando as estrelas, enquanto Bender enterra sob a ponte os corpos das duplicatas dos três viajantes do tempo.

O episódio O atraso de Fry mostra ao telespectador uma visão do universo sem propósito algum e sem criador. O que há é o incessante aparecimento e destruição de civilizações, o universo se apaga e a humanidade é extinta como se jamais tivesse existido. Este vazio de sentido é angustiante para muitos, mas para alguns é a oportunidade de criar a si mesmo. A ausência de sentido do universo e da vida traz uma liberdade para o ser humano buscar seu próprio motivo para existir que segundo o episódio de Futurama é ser feliz e passar bons momentos ao lado da pessoa que você ama.

Tags: , ,

Categoria: Artes e Letras, Literatura e Cinema

Mario Pereira Gomes

Sobre o(a) Autor(a) ()

Estudante de História (UFPE), tenho um grande interesse em estudar a humanidade e suas diversas facetas. Sou um ser mutável e busco não a perfeição, mas ser melhor a cada dia.

Comentários (2)

Trackback URL | Feed RSS dos Comentários

  1. Elan Marinho Elan Marinho disse:

    Esse episódio do futurama é magnífico. É incrível como ele consegue passar em menos de meia hora o conteúdo que uma obra literária inteira talvez não conseguisse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas