Arquivo para Janeiro, 2016

Absurdo à terceira potência

Absurdo à terceira potência

Primeiro que tudo, o absurdo, este, o de ser este texto um testemunho de mim eu mesmo eu próprio. Sem outra fonte de autoridade que não esta, a de me assumir como testemunha dos eventos que relato, avanço, então, para esta análise-descrição do fantástico fenômeno de me acontecer em mim uma história. O dia, creio, […]

Continue Lendo

O Dia em que a Terra quase parou

O Dia em que a Terra quase parou

No Dia em que se só se vê morte, Também há nascimento. No dia de um “dilúvio na cidade”, Há seca no Grande Sertão. No dia que se noticia o “mau humano”, Há de ter algum cidadão. No dia em que alguns se encolhem, Há desdobramento. No dia em que pacientes entram em coma, Há […]

Continue Lendo

Ideias Fundamentais do Liberalismo Político de John Rawls

Ideias Fundamentais do Liberalismo Político de John Rawls

John Rawls, em sua Conferência I sobre O Liberalismo Político, começa enfrentando três questões fundamentais sobre a justiça política numa sociedade democrática. A primeira diz respeito a qual concepção de justiça é a mais apta a ser concebida; a segunda, a quais são os fundamentos da tolerância numa sociedade composta de instituições livres, cujo resultado […]

Continue Lendo

Montaigne e a crise do arsenal criativo

Montaigne e a crise do arsenal criativo

É notório, no decorrer da produção histórica, que as vertentes pelas quais as instituições de ensino se apropriaram convergiram, paulatinamente, para o acúmulo de informações de forma bitolada, mecânica e sintética. A partir disso, os métodos utilizados para o aprendizado intelectual fizeram dos discentes um corpo cognitivo homogêneo ao interpelar, no processo estudantil, para um […]

Continue Lendo

A Virgem

A Virgem

Meu doce-amado me entrega seu juramento de amante, Mas desapercebo se me ama ou me deflora. Meu doce-amado quer sentir o afeto do meu tronco, Mas parece não poder me amar n’outra hora. Outra hora, Quando entender o cerne, o âmago, o por quê. Quando não lhe faltar nem a vontade, Nem o senso e a arte da […]

Continue Lendo

Gaia profana

Gaia profana

Um ensaio sobre mudanças fatais

Dentro dos últimos 50 anos vem sido constatada a mudança que o ser humano vem causando ao planeta desde a Revolução industrial (1760-1840). Seus efeitos são muito intensos e podem trazer consequências devastadoras para a maioria dos seres vivos dentre eles a espécie humana. No dia 11 de janeiro deste ano (2016) foi publicada uma matéria […]

Continue Lendo

As bases da motivação moral segundo John Rawls

As bases da motivação moral segundo John Rawls

São bases da motivação moral de uma pessoa[1]: A capacidade de professar doutrinas abrangentes razoáveis; A capacidade de ter senso de justiça e de ter uma concepção de bem; As faculdades intelectuais de julgamento, pensamento e inferência; As capacidades e qualificações necessárias para cooperar na sociedade; A disposição de propor e se sujeitar a termos […]

Continue Lendo

A filosofia em Star Wars

A filosofia em Star Wars

| 08/01/2016 | 4 Comentários

O objetivo deste escrito não é traçar um perfil apurado ou filosoficamente originário dos personagens de Star Wars, mas sim associar, de forma livre e divertida, os personagens a uma linha de pensamento. Serve mais como um método interessante de aprender e fixar os conceitos. OBI-WAN KENOBI Obi-Wan é um Mestre Jedi que se exilou […]

Continue Lendo

O mito de Herácles

O mito de Herácles

“Héracles não é com certeza uma criação grega que expresse os ideais do espírito dórico. As suas origens escondem-se nos alvores do tempo e o seu carácter de figura pan-helénica recua pelo menos até aos tempos micénicos”, comenta  Burkert (W., 1993, 405-406). Ora, apesar de não ser propriamente o herói típico dos poemas homéricos, “pois a […]

Continue Lendo

A figura do discípulo: O socrático, o epicurista e o aristótelico

A figura do discípulo: O socrático, o epicurista e o aristótelico

Síntese do artigo “Três Figuras do Discípulo na Filosofia Antiga” do professor Francis Wolff (École Normale Supérieure de Paris), o seguinte texto examina as condições do discípulo na filosofia antiga.  Ora, vejamos a introdução de Wolff à herança socrática: “De Sócrates provêm, diretamente, algumas das filosofias mais marcantes da história (dentre as quais as de Platão) e, indiretamente, quase todas […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas