Arquivo para outubro, 2015

Essas meninas

Essas meninas

Me pergunto como essas meninas com seus dezessete, dezoito, dezenove e vinte anos. Metidas em seus mundinhos recém reorganizados estão brincando com suas mulheres e seus homens. São uma graça e sabem que estão no controle. Com seus olhinhos infantis e seus sorrisos de meninas e sua novas curvas e coxas e seios adultos. E […]

Continue Lendo

A chegada da família real ao Brasil e sua repercussão no jornalismo

A chegada da família real ao Brasil e sua repercussão no jornalismo

Somente com a chegada da família real portuguesa ao Brasil (1808) surgiram os primeiros impressos efetivamente brasileiros. A estadia da Coroa no Rio de Janeiro causou uma nova ordem social, e por consequência surgiram novos sistemas de troca bem como oficialmente a burocracia se instalou na Colônia. Isso possibilitou o desenvolvimento das cidades, ampliou o universo populacional e materializou condições mínimas […]

Continue Lendo

Oiligarchy – um game sobre a indústria petrolífera

Oiligarchy – um game sobre a indústria petrolífera

Oiligarchy, game administrativo no qual o jogador é o CEO (Chief Executive Officer – Diretor Executivo) de uma grande companhia de petróleo, tem por objetivos, segundo as palavras que aparecem no próprio jogo, “transformar este material preto [o petróleo] pegajoso em ouro por todos os meios necessários”. Desse modo o jogador deve dar para a empresa onde trabalha lucros crescentes fazendo com que […]

Continue Lendo

O discernimento (phronesis) como condutor ético

O discernimento (phronesis) como condutor ético

Não deixar interferir o seu estado emotivo em função do agir com o outro de certo é um exercício bastante difícil, quiçá impossível. Entretanto vejo que quanto mais se deixa as insatisfações pessoais tomarem conta do comportamento em relação ao outro mais preso em si o indivíduo se encontra. A solução disto, ao meu ver, não […]

Continue Lendo

Os tipos de natureza segundo João Escoto Erígena

Os tipos de natureza segundo João Escoto Erígena

João Escoto Erígena (810-877), como o estudioso das relações entre a filosofia grega e os princípios do cristianismo que era, acreditava ser Deus e unicamente Ele a natureza primeira. Segundo crê embora o mundo seja o próprio Deus, Deus não é o mundo por uma razão, isto é, Ele criou as coisas conservando-se em posição mais elevada do […]

Continue Lendo

A Genealogia da Moral: Do devir de valores e de seu rebento

A Genealogia da Moral: Do devir de valores e de seu rebento

| 16/10/2015 | 0 Comentários

A moral é a decisão sobre como viver, portanto, exige o estabelecimento de valores. Todavia, por muito tempo, os homens entenderam os conceitos como eternos, imutáveis, bons por si mesmos; exerceram o que Nietzsche chamava de “egipcismo”: a tentativa de transformar as ideias em múmias, de conservá-las, de mumificar a sua valorização. Consideramos, pois, a […]

Continue Lendo

O Iluminismo judaico e a Haskalá na filosofia Mendelssohniana

O Iluminismo judaico e a Haskalá na filosofia Mendelssohniana

Notável tanto na filosofia do Iluminismo alemão como na do judaísmo, Moisés Mendelssohn (1729-1786) foi o primeiro filósofo judeu moderno. A princípio Mendelssohn não aspirava construir uma teoria filosófica do judaísmo, ou seja, seu principal intento não era justificar racionalmente a fé de seus antepassados como faziam muitos pensadores medievais, todavia seu pensamento acaba por levá-lo […]

Continue Lendo

A reprodução e sua ligação com a mortalidade

A reprodução e sua ligação com a mortalidade

Você já imaginou alguém associando intimamente a reprodução, seja ela assexuada ou sexuada, com a morte? Assim fez George Bataille ao conceber a essência dos seres gerados como uma mudança inquietante. Ninguém explicaria melhor essa relação que Bataille ele mesmo, por isso reproduzirei abaixo suas palavras. Na reprodução assexuada, o ser simples que é a célula divide-se […]

Continue Lendo

Profano véu, oh língua!

Profano véu, oh língua!

Vós dizeis com os lábios profanas palavras; dominar-te-ei, pois domino as feras. Oxalá!, falas como se pertenceste ao alto, mas que etéreo estás a facultar? Sequer podeis dominar a vossa língua, a qual fala por dizer e diz por falar. Teu viver brota do nada relativo e se faz Ser derramado; Não és gato, não és rato: és […]

Continue Lendo

A estrutura das teorias contratualistas

A estrutura das teorias contratualistas

Situação inicial do Contrato Em geral as teorias contratualistas tentam explicar porque os Estados foram formados e mantidos até os dias atuais. O contratualismo pressupõe um acordo, quer dizer, uma espécie de contrato social entre indivíduos a fim de manter a ordem social. Dessa maneira, quase sempre, o ponto de partida contratual é o pressuposto da condição humana […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas